sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Pet no condomínio

Afinal, pode ou não pode?
Segundo a jurisprudência, pode, mesmo que as convenções condominiais e os regimentos internos do condomínio digam o contrário, no entanto, para garantir o direito à posse dos animais de estimação, os condôminos devem ficar atentos aos seguintes aspectos, a fim de evitar transtornos aos demais moradores:

Barulho no condomínio

Ruídos causados por animais de estimação (latidos, uivos, miados etc) são barulho como qualquer outro, ou seja, a perturbação do sossego da vizinhança só se caracteriza o barulho for produzido durante o horário de silêncio.
Cada cidade tem a uma legislação que determina o “horário de silêncio”, que geralmente fica entre as 20h e às 8h.
Dica de adestradores especialistas: para ensinar o cão a latir pouco quando ouve barulhos no corredor do prédio, na rua ou demais dependências do edifício, você pode borrifar um pouco de água gelada no focinho dele depois de alguns latidos, dando o comando “quieto” com tom de voz firme.
pet-no-apartamento

Higiene e a saúde dos animais de estimação em apartamento

Mantenha os animais vacinados e limpos. Não permita que o animal use as dependências do condomínio como banheiro. Ao sair para passear com ele, leve um saquinho para recolher os dejetos. Se você quiser educar o seu pet a usar o banheiro na rua, saiba que serão necessárias, pelo menos, quatro saídas diárias com o animal.
Uma maneira de educar os pets sobre o local certo para fazerem suas necessidades fisiológicas é separar um cantinho na área de serviço e cobrir com jornal. Existem “essências em gotas” que podem ajudar o bichinho a entender que aquele é o lugar certo. Quando o animal errar o lugar, nunca esfregue focinho deles nas fezes, nem grite. Isso evita traumas que podem levar a comportamentos nocivos à saúde do animal como, por exemplo, ficar segurando o xixi.

Segurança com pets em condomínio

Utilize apenas o elevador de serviço para transportar o seu animal, preferencialmente, quando estiver vazio. Se o pet for pequeno, pode ser de coleira e no colo ou na caixinha de transporte. Se for grande, só com coleira, guia curta e focinheira.
Sociabilizar e educar o animal com comandos para convivência com outras pessoas é sempre uma boa ideia.

Atividades para pet’s que vivem em imóveis fechados

Todo animal precisa liberar energia. Isso significa, brincar, andar e correr. Além de garantir a saúde do animal, esse ato vai deixar o animal mais feliz e tranquilo.
Se o seu pet fica sozinho em casa, deixe sempre algumas opções de entretenimento (brinquedos) a disposição dele.

Como tirar o cheiro e os pelos do seu bicho de estimação da sua casa

Os animais são unanimidade quando o assunto é companheirismo e fofura, principalmente se tratando de cachorros e gatos. Mas ter um bicho de estimação, além dos benefícios que todo mundo conhece, pode dar muito trabalho. O convívio diário pede alguns cuidados especiais para que problemas cotidianos não apareçam. Bastante comuns no dia-a-dia, dois deles são: o mau cheiro e a quantidade de pelos que os pets deixam pela casa.
Cuidados com os pets em casa

Veja algumas dicas simples para tirar o cheiro e os pelos deixados pelo seu pet em casa.

Cuide da higiene de seu cachorro e gato


Para ter a casa organizada, o primeiro passo é manter os bichos de estimação limpos. Ao contrário do que se pensa, os cheiros que os animais deixam pela casa são oriundos deles mesmos, por isso é tão importante dar banho regularmente em seu cachorro e gato.
Penteá-los frequentemente é um benefício para nós e para eles, já que os pelos não ficam com nós e nem caem tanto. Além disso, a higiene de outras partes do corpo, como a boca e as orelhas, são essenciais para a saúde do seu pet.

Varrer, aspirar e circular

São 3 verbos que todo dono de animal deve conhecer. Esse trio ajuda simultaneamente nos dois problemas, pois varrer o chão faz com o que os pelos se espalhem menos e, consequentemente, o cheiro. As vassouras mais indicadas são as de borracha, pois elas criam uma eletricidade estática que faz com que os pelos sejam extraídos mais facilmente.
Aspirar os móveis, tapetes, carpetes, entre outras coisas, ajuda a diminuir a poeira e também a alcançar os pelos que se concentram nos cantos. Abrir as janelas é um movimento simples que inicia um fluxo de ar no ambiente, aliviando o odor dos animais (que ficam ainda mais intensos no inverno).
Cuidados com os pets em casa

Utilize os produtos certos

Existem no mercado inúmeros produtos que combatem os dois problemas citados no post, mas somente alguns deles são realmente eficazes. Para assegurar a qualidade da mercadoria, é recomendável testar antes de espalhá-la por toda a casa. Também verifique qual o uso adequado dela: se é para o piso, tapete ou outras finalidades.
Muitas pessoas costumam usar misturas caseiras que, combinadas às substâncias do dia-a-dia, fazem o mesmo trabalho dos produtos tradicionais encontrados no comércio. A dica é, tanto para os produtos quanto para as soluções, usar com cuidado e moderação, pois ninguém quer uma casa limpa e, ao mesmo tempo, manchada.

Na hora de lavar

As cortinas, as almofadas, os tapetes e outros itens domésticos ficam com o cheiro do seu bichinho mesmo sem querer. O contato deles com esses objetos deixa um odor característico, que também pode ser sentido na cama e nos cobertos do seu pet. É importante manter esses itens sempre limpos, pois além de diminuir o cheiro, também previne a acumulação de poeira, bactérias e dos pelos, que se concentram no local de descanso do seu animal.

como tirar cheiro de cachorro e pelos de gato de casa ou apartamento? Saiba aqui!

Treinamento

Sua vida pode ser mais simples se o seu companheiro souber o que pode ou não. Por isso é importante você ensinar alguns modos ao seu pet, principalmente no que diz respeito ao lugar das necessidades e onde ele deve ou não ficar.
Acostumar seu bichinho, por exemplo, a dormir no mesmo lugar e a não subir nos móveis, evita que os pelos dele se espalhem pela casa. Instruí-lo a voltar sempre ao mesmo local para fazer xixi previne que o odor se instale por toda a casa. Caso isso não seja possível, existem produtos no mercado, como o Pipi Dog ou tapetes higiênicos, que estimulam os animais a fazerem as necessidades no local escolhido e te ajudam a manter o ambiente limpo e mais cheiroso.

Cuidados com os pets em casa

Truques caseiros para tirar o cheiro de urina:

1. Passe um papel toalha para absorver o xixi.
2. Misture meio litro de água, suco de limão e uma colher de bicarbonato de sódio ou vinagre de álcool.
3. Mergulhe num pano e passe no local.4. Aplique outro pano úmido para enxaguar.

Dica para tirar o cheiro do tapete e sofá:

1. Misture água morna, vinagre e bicarbonato de sódio.2. Coloque em um borrificador e passe nas superfícies afetadas.
3. Aspire o tapete e o sofá.

Como tirar o cheiro do piso em casa ou apartamento:

De casa
1. Faça uma solução de álcool, água e desinfetante.
2. Encharque um pano e passe-o no chão.Do quintal
1. Lave o chão com detergente e água.
2. Repita o mesmo processo de casa.

Como tirar o cheiro de tecidos:

1. Misture um litro de água com meio copo de vinagre, uma colher de bicarbonato de sódio, ¼ de copo de álcool e uma colher de amaciante.
2. Borrife nos tecidos e nas roupas.
3. Lave normalmente.

Para tirar o pelo da roupa ou tecido:

Rolo adesivo
1. Compre um rolo adesivo (contém um material adesivo que, ao entrar contato com a superfície, adere os pelos ao rolo).2. Passe de cima para baixo nas suas roupas.
Fita adesiva
1. Enrole a fita na sua mão, com a parte da cola para fora.
2. Esfregue sobre o tecido.

Lenço ou pano umedecido:

1. Pegue um lenço, papel toalha ou pano.
2. Molhe-o com água.
3. Passe sobre a roupa e repita o movimento, sempre na mesma direção.

Planejando o seu Pet: os melhores animais para espaços pequenos

Animais de estimação são grandes companheiros, mas você sabe qual melhor se adapta ao espaço que você tem disponível?


A maioria das pessoas deseja ter um animal de estimação, mas se você vive em um espaço pequeno, é tão importante considerar as necessidades físicas e psicológicas do pet quanto as suas.  Aqui vão algumas dicas de animais de maior adaptabilidade e como deixá-los mais felizes.

Cachorros

Planejando o seu Pet: como tratar o cachorro em espaços pequenos
Se você está se mudando para uma casa menor ou cuidando de um cachorro ou filhote pela primeira vez, é importante não se esquecer da importância de sempre levá-los para uma dose diária de exercícios físicos ao ar livre, além, claro, de bastante companhia e atenção.
Cachorros precisam de ambientes limpos, confortáveis e seguros, com espaço para que eles se movam. Garanta sempre que seu cachorro tem oportunidades mais do que suficientes de fazer as suas necessidades. Eles também precisam de uma cama e brinquedos para conforto e estímulo, especialmente quando você não estiver em casa.

Gatos

Planejando o seu Pet: como tratar o gato em espaços pequenos
Gatos precisam de mais enriquecimento, então garanta que eles tenham postes para arranhar, espaços para escalar, brinquedos e locais para se esconder e dormir. Eles também precisam de exercício. Pode parecer estranho, mas a maioria dos gatos pode sim ser levada para um passeio utilizando uma coleira.
Se você está considerando comprar ou adotar um gatinho, considere a possibilidade de ficar com dois, para que eles possam fazer companhia um ao outro. Por exemplo: gatos de idades similares, irmãos ou gatos que já se dêem bem em seu local de origem. É importante saber que, mesmo em locais pequenos, os gatos precisam de seu próprio potinho de comida e água e é uma boa ideia fornecer várias bandejas para eles fazerem suas necessidades.

Porquinho Da Índia e Coelho

Planejando o seu Pet: cuidados com porquinhos da Índia e Coelhos
Porquinhos da Índia e coelhos precisam de bastante espaço e exercício diário fora da gaiola. Eles também devem ter acesso regular a um espaço externo, gramado, no qual eles possam se mover e explorar.
Porquinhos da Índia, especialmente, são muito sociáveis e ficam melhores se mantidos aos pares – mas cuidado para não misturar machos e fêmeas ou então você acabará com uma grande quantidade de bebês indesejados.

Peixes

Planejando o seu Pet: os cuidados que você deve ter com o seu peixe
Peixes são os pets perfeitos para espaços pequenos. É preciso garantir que eles tenham um aquário apropriado com boa filtração, controle de temperatura, aeração e manutenção regular da qualidade da água. Eles também precisam de bastante espaço, plantas e acessórios interessantes para nadar ao redor.

Mas e se eu me mudar?

Assim como é importante considerar qual o pet adequado para o seu espaço, é importante considerar como a mudança afetará o seu bichinho caso você precise se mudar.  Por exemplo, na mudança, sempre olhe ao redor da nova propriedade com cuidado procurando pro plantas e outros itens tóxicos que possam prejudicar a saúde do seu bichinho.
Muitos condomínios têm regras que proíbem a presença de animais, então é importante pesquisar essa informação antes de conseguir o seu pet. Também busque saber sobre leis locais que causem possíveis restrições.
O mais importante é: em caso de dúvidas, sempre pergunte a um veterinário. Ele te ajudará a encontrar o pet ideal para você e a deixá-lo sempre saudável e feliz.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Conheça as plantas que podem melhorar o ar da casa

Além de decorar a casa, muitas plantas ajudam a harmonizar, proteger ou equilibrar nossa vida. Segundo a paisagista e designer de interiores Mon Liu, algumas delas têm o poder de limpar o ar do ambiente, absorver os cheiros tóxicos e servir como anteparo para vibrações mais densas.
Palmeira de bambu ajuda a manter uma boa umidificação de ar e é bem-vinda em halls e salas de estar (Fotos: Shutterstock)

“Percebe-se que, em grandes centros urbanos as pessoas vivem correndo, o estresse é maior e há mais problemas de saúde em ambientes profissionais e domésticos. Os poluentes domésticos podem causar sonolência, dores de cabeça, irritação dos olhos, garganta e pele nos casos mais leves e até câncer e enfermidades do sangue”, alerta Mon Liu.
Confira as sugestões de plantas da arquiteta Thais Lacialamella para cada tipo de ambiente:
Cozinha, banheiro e lavanderia
Azálea - Eficientes para combater poluentes e amoníacos, são bem utilizadas em ambientes laváveis, como banheiros e cozinhas.
Azaleas ajudam a combater a entrada de poluentes na casa
Bromélia – A planta ajuda na absorção da fumaça. Tem grande capacidade de armazenar água e, por isso, é importante evitar que as bromélias de jardins ou nas casas fiquem expostas à chuva.
Antúrio - É um curinga para os cantinhos menos iluminados do jardim, onde outras flores jamais iriam prosperar.
Planta aranha (gravatinha ou paulistinha) -Sua grande folhagem é útil para eliminar o monóxido de carbono e outras toxinas e impurezas do ar, sendo ideal para ambientes onde haja aquecimento com queima de gás ou madeiras.
Lírio-da-paz - Conhecido como “limpa tudo”, é responsável por absorver todos os tipos de poluentes, auxiliando na remoção de esporos de fungos e mofos (ação fungicida). É bem utilizado em ambientes úmidos.
Capim-limão / capim-santo / capim-cidreira - Da sua inflorescência extrai-se um óleo essencial utilizado em repelentes de insetos.
Home theater e salas com TV
Cacto - Muito úteis para barrar as ondas eletromagnéticas, é indicado tê-los próximos à micro-ondas e televisores.
Para os supersticiosos, os cactos também ajudam a tirar o mau olhado no ambiente

Dormitórios e ambientes de fumantes
Gérbera / crisântemo / begônia - Capazes de eliminar o benzeno no ar, absorver o dióxido de carbono e liberar mais oxigênio.
Halls e salas de estar
Palmeira de bambu (palmeira areca) - Ajuda a absorver gases tóxicos e a manter uma boa umidificação de ar. É considerada uma das melhores plantas para a purificação do ar, sendo recomendada sua utilização inclusive para ambientes recém-pintados.
Aglaonema - Filtra toxinas do ar, como formaldeído e o benzeno.
Alpínia - Capta agentes que poluem o ar e ajuda a deixar o ambiente mais úmido.
Lugares pouco ventilados
Poinsétia (flor do natal) - Verdadeiro filtro de ar, é ideal para lugares pouco ventilados.
Ráfis (raphis) - Agindo contra o amoníaco dos detergentes, é bem-vinda em ambientes laváveis.

Pedras podem dar novo visual às paredes

Você quer mudar a cara de alguma parede com pedras? Pois saiba que paredes decoradas estão em alta nos ambientes comerciais e residenciais.
pedra parede
Evidenciar uma ou mais paredes no ambiente com pedras ou outros materiais é uma tendência atual (Fotos: Shutterstock)
Segundo Liliane Ros, gerente de personalização da construtora Tarjab, evidenciar uma ou mais paredes no ambiente com diversos tipos de materiais, como vidro, madeira ou pedras, é uma tendência atual nas áreas sociais.
“São inúmeras as opções disponíveis, quase todas as pedras que são utilizadas em pisos podem ir para as paredes em cores e formatos variados atendendo a todos os gostos e bolsos”, diz.
pedra parede
Modelos, tamanhos e formatos de pedras podem variar na decoração
A arquiteta Thais Lacialamella afirma que, por serem resistentes, duradouras e bonitas, as pedras valorizam a construção, combinando estética e praticidade. “Protegem a parede, evitam umidade e manutenções desnecessárias e o mais importante: decoram o ambiente tornando-o mais sofisticado e único”, avalia.
No entanto, Thais lembra que elas possuem alto custo para instalação, pois requerem utilização de pessoal especializado, porém o baixo custo de manutenção torna este tipo de material bastante viável.
Podem ser utilizadas em ambientes internos e externos, sendo que a maioria das pedras exige aplicação de impermeabilizante para utilização sob as intempéries.
Um exemplo dado por Liliane é o mosaico português (cacos de pedras), que era muito utilizado em calçadas e hoje reveste as paredes dando um ar moderno ao ambiente.
pedras em paredes
Uma bom projeto de iluminação ajuda a valorizar ainda mais o efeito das pedras na parede
“Outras pedras que até hoje são utilizadas para revestir diversas áreas de pisos, como piscinas, subiram para as paredes, sendo instaladas em diversos formatos, cores e acabamentos, como polido ou rústico, que está em alta, incluindo os mármores e granitos utilizados há muitos séculos”, explica.
Liliane avisa que a iluminação também pode mudar totalmente o visual das pedras. “Focando a frente da chapa aparecem determinadas características diferentes de quando a chapa está sendo iluminada por trás, ou seja, o recurso de iluminação, além de valorizar as pedras, muda completamente a visualização dependendo da forma que é utilizada”, afirma.
Veja algumas sugestões de pedras da arquiteta Thais Lacialamella:
Parede interna:
• Dolomita na cor branca: reveste paredes internas por R$ 100/m², em média.
• Pedra-ferro: pedra decorativa utilizada em revestimento de paredes internas e de varandas por R$ 200/m², em média.
• Mármore: material nobre, com preço médio de R$ 1.000/m².
Parede externa ou muro:
• Arenito (mosaico português): encontrado nas cores amarela, vermelha, branca e preta, cria lindos painéis de fachada. Seu custo médio é de R$ 150/m² colocado.
• Itacolomy: material que mancha com facilidade, geralmente é assentado em filetes ou mosaicos.
• Jaraguá: resistente às intempéries, utilizado principalmente em muros.
• Moledo: também resistente às intempéries e utilizado em muros. Preço médio de R$ 650/m² colocado.
• Pedra Goiás: material brilhante que mancha com facilidade, devendo ser impermeabilizado. Seu custo médio é de R$ 150/m².
• Pedra madeira: material que mancha com facilidade, devendo ser impermeabilizado. Seu custo médio é de R$ 150/m².
• Pedra mineira (São Tomé): material que mancha com facilidade, devendo ser impermeabilizado. O custo médio é de R$ 200/m².
Formatos
Podem ser aplicadas em placas, em tijolos, em mosaico ou em filetes.
Acabamento
Pode ser natural, polido, polido fosco, apicoado, levigado, flameado, lustrado, cristalizado, vitrificado, impermeabilizado, resinado ou com cera de polímeros.
Limpeza
Para a limpeza diária, basta um pano úmido ou detergente neutro diluído em água. Nunca use produtos abrasivos ou ácidos.

Saiba como evitar erros na decoração da sala

Tenha cuidado para não exagerar na decoração da sua sala (Fotos: Shutterstock)
Tenha cuidado para não exagerar na decoração da sua sala (Fotos: Shutterstock)
Decorar a sala é uma questão de gosto e estilo, mas existem algumas situações que devem ser evitadas para que não se torne cafona. Tudo deve ser planejado de acordo com o tamanho do ambiente e com os móveis que já possui.
Segundo o arquiteto Augdan Oliveira, decorar a sala em uma combinação entre listras e floral não é uma boa escolha. Tudo que é decorado com exagero, cores muito fortes e diferentes deixam a casa com um design muito pesado.
É claro que cores mais suaves deixam o ambiente mais leve, mas isso não quer dizer que as cores mais escuras não podem ser utilizadas.
Você acaba de comprar uma casa nova e vai decorá-la ou está pensando em mudar alguns itens na decoração? Então fique atento às dicas do arquiteto Augdan para não errar na sala da sua casa:
Não escolha um sofá grande demais para o ambiente. Coloque um no tamanho proporcional da sala
Não escolha um sofá grande demais para o ambiente. Coloque um no tamanho proporcional da sala.


Cor diferente em uma parede somente deve ser usada se tiver composição de cores e é preciso alinhar com o restante da decoração
Cor diferente em uma parede somente deve ser usada se tiver composição de cores e é preciso alinhar com o restante da decoração

Evite composição de listrado com floral. Além disso, tudo combinando de forma exagerada não é legal
Evite composição de listrado com floral. Além disso, tudo combinando de forma exagerada não é legal

Televisão sobre móveis como rack ou cômoda que não são feitos para a sala também não fica bom
Televisão sobre móveis como rack ou cômoda que não são feitos para a sala também não fica bom

Tecidos muito brilhosos, à base de seda ou cetim, não ficam bons na sala
Tecidos muito brilhosos, à base de seda ou cetim, não ficam bons na sala

Conheça os móveis que podem facilitar a vida da mãe de um bebê

Para uma mãe que sempre sonhou com a chegada do bebê, não há nada melhor do que preparar o enxoval, o quarto e cada detalhe da casa para o novo integrante da família. Mas há uma pergunta  que muitas mulheres fazem nesse período pré-natal, mas que raramente encontram a resposta: como deixar a rotina com o filho mais confortável e menos cansativa?
O berço acoplável é uma opção perfeita para a mamãe que deseja ficar perto do bebê durante à noite, facilitando o momento de amamentação. Preço: R$ 1.701,00 (Foto: Reprodução – Loja Gift 3D)

Segundo a arquiteta Thais Lacialamella, alguns móveis e objetos podem ser de grande utilidade nos primeiros meses do bebê, como cestos e Moisés.
Tais peças são aconchegantes, de fácil transporte e cabem ao lado da cama dos pais. “Um berço desmontável tem a mesma utilidade e seu uso perdura por mais tempo, tanto como chiqueirinho ou berço móvel”, afirma a profissional.
berço multiuso
Berço multiuso ajuda a economizar espaço e deixa tudo ao alcance das mãos da mamãe (Foto: Reprodução – Lojas KD)
Se o quarto for bem pequeno, vale apostar num berço multiuso. Com trocador e algumas gavetas acoplados, você poderá abrir mão de uma cômoda separada.
Para as mães que desejam se deslocar menos durante à noite, o berço acoplável pode ser uma boa opção.
Conheça a seguir outros itens que podem facilitar a vida da mamãe:
Poltrona de amamentação: Além de muito confortável, a poltrona ou cadeira precisa ser forrada com um tecido fácil de limpar, como couro sintético ou natural, ou ser impermeabilizada. Dependendo do tamanho do quarto, é possível escolher uma poltrona de balanço com pufe para apoio dos pés, o que dará mais conforto à mamãe na hora de amamentar.
poltrona de amamentação
Poltrona de amamentação deixa a mão mais confortável com o bebê no colo (Foto: Reprodução – Lojas KD)
Mesa de apoio: É essencial para colocar um abajur, um relógio, um copo de água para a mamãe enquanto amamenta, além de chupeta, mamadeiras e panos de boca.
“Se o seu espaço for maior, no lugar de uma mesinha, você pode optar por uma estante baixa, onde sejam colocados livros e brinquedos embaixo. Em cima, coloque um aparelho de som para relaxar e os demais itens que ficariam na mesa”, recomenda Thais.
Cadeiras de alimentação: Elas ajudam no processo de introdução dos alimentos sólidos, levando previsibilidade e rotina à criança. As cadeiras também podem contar com itens que ajudam a distrair ou deixar o bebê mais confortável, como opção de reclinar, ajustes de altura, sons e brinquedos.

Ombrelones são boas opções para fazer sombra no jardim

Utilizados para proporcionar sombra e proteger as pessoas dos raios solares, os ombrelones ganharam destaque em projetos de paisagismo de jardins e varandas. Com diferentes formatos e angulações, esses acessórios transmitem charme e muita personalidade aos ambientes.
ombrelone branco
Os ombrelones são grandes apostas para o verão e ficam bem perto de mesas, cadeiras, chaises, sofás e outros móveis (Foto: Shutterstock)
“Os ombrelones são hoje um objeto de desejo. Além de garantir o conforto térmico e proteger contra os raios do sol, eles apresentam um design arrojado que se destaca nos mais variados ambientes”, afirma Salim Chueire Felisbino, sócio-proprietário da loja online TOK de Conforto.

ombrelone vermelho
Ombrelone ajuda a proteger os móveis e cria uma área de sombra para o lazer (Foto: ThinkStock)
Para a arquiteta e designer Katalin Stammer, os ombrelones serão um dos fenômenos da próxima estação e ficam bem perto de mesas, cadeiras, chaises, sofás e outros móveis de áreas externas. “Disponíveis em diversos formatos, tamanhos e materiais, os ombrelones têm a cara do verão. Dão uma identidade bem especial para jardins, varandas e até mesmo para ambientes internos que têm muita incidência de sol”, explica Katalin.
Os ombrelones podem ter até três metros de diâmetro (Foto: Reprodução – Pinterest)
Fixados em bases no chão ou na parede, os ombrelones são geralmente impermeáveis e podem ter até três metros de diâmetro. “De fibra, madeira ou metal, os ombrelones estão disponíveis para os mais variados projetos de paisagismo, podendo ser facilmente incorporado aos ambientes. Além disso, eles podem ser encontrados em diversos tamanhos e cores”, completa Katalin

Como limpar seu porcelanato

Os pisos de porcelanato se distinguem pela elegância e são uma excelente opção para dar requinte e modernidade aos ambientes.
pisos-porcelanatos.jpg
Nesta semana, apresentamos 5 dicas para a limpeza de pisos de porcelanato, para que se mantenham como novos e sempre brilhantes:
- Retire toda a sujeira do piso varrendo com uma vassoura de cerdas suaves ou com o aspirador de pó. Você também pode utilizar um pano seco. Não use produtos que possam riscar o piso.
- Quando derramar algum líquido, procure limpá-lo imediatamente com pano seco, para posteriormente, utilizar um produto específico.
- Aplique água com um sabão neutro ou com um produto específico para limpeza de pisos diluído em água. Evite produtos que sejam à base de ácidos fortes, óleo, graxa ou qualquer sabão em pó ou em barra, pois estes produtos criam uma camada invisível que retém a sujeira mais facilmente.
- Enxague bem o piso com água depois da limpeza, para que não fique nenhum resíduo do produto de limpeza.
- A frequência e a duração de qualquer programa de manutenção dependem das características e do tipo de porcelanato. Eles podem ser de três tipos: com textura, polidos ou opacos. O processo de limpeza pode várias para cada tipo.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

As principais linhas de financiamento habitacional da Caixa

MINHA CASA MINHA VIDA: Vale para imóvel novo ou em construção, com valor de até R$ 90 mil, para famílias com renda mensal entre R$ 465 e R$ 5 mil. Os juros que variam de 4,5% a 7,4% ao ano. Mas há subsídios. O programa só é aberto a candidatos selecionados pelas prefeituras de acordo com critérios socioeconômicos. Não sofreu alterações.

CARTA DE CRÉDITO FGTS: É utilizada para imóvel novo, usado ou em construção com valor de até R$ 90 mil para famílias com renda mensal de R$ 465 a R$ 5 mil. Os juros variam de 4,5% a 8,16%, de acordo com a faixa de renda. Não sofreu alterações.

SISTEMA FINANCEIRO DA HABITAÇÃO (SFH): Financia imóveis novos ou usados com valor máximo de R$ 750 mil, nas regiões metropolitanas de RJ, MG, SP e DF, ou de R$ 650 mil, nas demais regiões do país. Não há limite de renda familiar, desde que seja compatível com a prestação a pagar. Permite o uso do saldo do FGTS para dar entrada e abater o saldo devedor ou as prestações. As taxas de juros serão alteradas a partir do próximo dia 19 para o mínimo de 8,5% e o máximo de R$ 9,15% ao ano.

SISTEMA FINANCEIRO IMOBILIÁRIO (SFI): Financia imóveis com valor superior a R$ 750 mil (regiões metropolitanas de RJ, SP, MG e DF) ou de R$ 650 mil (demais regiões do país). Não há limite de renda familiar, desde que seja compatível com o valor das prestação a ser paga. As novas taxas de juros, que entram em vigor no dia 19, variam de 9,20% a 11% ao ano.


Fonte: O GLOBO

Caixa sobe juros do financiamento da casa própria

BRASÍLIA - A Caixa confirmou nesta quinta-feira o aumento nas taxas de juros para novos financiamentos imobiliários. A medida começa a valer a partir do dia 19 deste mês. Em nota, a Caixa informa que a “alteração se deve ao aumento das taxas de juros básicos”. O reajuste não vale para contratos em andamento.

De acordo com a tabela divulgada, as novas taxas variam de 8,5% a 9,15% ao ano para empréstimos do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), no qual se enquadram imóveis que custam até R$ 750 mil. O SFH usa recursos do FGTS e da poupança. Já no caso dos empréstimos do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), para imóveis que não se enquadram no SFH, ou seja, acima de R$ 750 mil, as novas taxas variam de 10,30% a 11%.

Na tabela anterior, os financiamentos do SFH variavam de 8% a 9,15% ao ano; e pelo SFI, de 8,8% a 9,2% ao ano. Nos dois casos, as taxas de juros dependem se o cliente tem conta salário, é servidor público ou tem relacionamento com o banco. Veja na tabela abaixo cada taxa anual:

  -  
Segundo a Caixa, as taxas de financiamentos habitacionais contratados com recursos do Programa Minha Casa Minha Vida e do FGTS não sofrerão qualquer correção em suas taxas de juros. A taxa básica de juros do país (a Selic) está hoje em 11,75% ao ano.


ENTENDA A DIFERENÇA ENTRE OS SISTEMAS

O SFH detém a maioria dos financiamentos da casa própria no país. Nele são usados os recursos captados na caderneta de poupança ou no FGTS. Ou seja, quando um brasileiro deposita na aplicação mais popular do país ou o patrão aporta no FGTS em nome do funcionário, o banco empresta esse dinheiro para clientes que querem comprar imóveis. Já no SFI os bancos usam recursos próprios.

Aumentar os juros de empréstimos subsidiados vai ao encontro do pensamento da nova equipe econômica, liderada pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Ele defende um freio nos créditos com benefícios do governo, por acreditar que isso ajudará o Banco Central (BC) a controlar a inflação.


CAIXA DETÉM 75% DO MERCADO

Com o crescimento do chamado crédito direcionado (voltado para o investimento e com taxas de juros menores), a política de elevar os juros para frear o consumo ficou enfraquecida. Isso porque vários desses empréstimos, inclusive o habitacional, ficam fora desse aperto. Ou seja, estão imunes à atuação do BC.

O crédito habitacional ficou mais barato a partir de 2012, quando a presidente Dilma Rousseff usou os bancos públicos para liderarem a redução dos juros ao consumidor, historicamente altos.

Uma mudança nas taxas de crédito imobiliário da Caixa mexe com todo o setor, já que a instituição detém 75,6% do mercado. Segundo dados do BC, o Brasil tem R$ 424,1 bilhões em contratos de crédito imobiliário ativos. É o crédito que mais cresce no país: nos últimos 12 meses, saltou 27%.

Fonte: O GLOBO