quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Lei que permite o fechamento de varandas é regulamentada pela Prefeitura do Rio

O Globo, 29/out

A Prefeitura do Rio publicou nesta terça-feira, no Diário Oficial do Município, a regulamentação da lei complementar 145/2014, que permite o fechamento das varandas de prédios residenciais por meio da instalação de um sistema móvel de vidros, ou de materiais similares, desde que sejam incolores e translúcidos, para que não haja interferência na composição da fachada. A medida tem aplicação imediata e vale para todas as regiões da cidade, exceto a Zona Sul, e determina o pagamento de uma taxa de até R$ 300 por metro quadrado da área fechada.

Com a medida, continua proibida a divisão das varandas por meio de compartimentos feitos em alvenaria que descaracterizem a área original. O espaço também não poderá ser incorporado a outros ambientes do prédio. Para poderem fechar suas varandas, os moradores precisam de autorização dos condomínios, em respeito a legislação federal em vigor.

Autor do projeto, o vereador Carlo Caiado (DEM) está satisfeito com os termos da regulamentação.

- A regulamentação mantém, quase na íntegra, a lei que foi aprovada. É importante, porque cria um padrão em relação a uma demanda que cresce muito na cidade, e sem ordenamento. O texto é claro e obriga que as varandas sejam mantidas - comemora.

Presidente da Câmara Comunitária da Barra da Tijuca (CCBT), Delair Dumbrosck também está satisfeito com a medida.
 
- Precisávamos resolver esse problema há tempos. É justo que se cobre por esse fechamento, nós não queríamos fazer isto de graça, mas precisávamos de um amparo do poder público - resume.

O projeto de lei, foi apresentado em 2005 e estava esquecido na casa até o início do ano, quando foi resgatado. Na ocasião, outros 14 parlamentares, entre eles, membros da bancada governista, como o líder do PMDB, Guaraná, assinaram a autoria do projeto, além de membros das comissões de Administração e Assuntos Ligados ao Servidor Público; Assuntos Urbanos e Justiça e Redação, totalizando 23 autores.

Apesar da nova coalização formada, o projeto, que já havia sido aprovado pelo plenário da Câmara de Vereadores em junho, acabou vetado pelo prefeito Eduardo Paes (PMDB). Com a volta da proposta ao legislativo municipal, os vereadores derrubaram o veto em setembro, por 33 votos a 4. Paes havia prometido verificar a constitucionalidade da lei, mas não recorreu à justiça. Na ocasião, as associações de moradores da Zona Sul se mostraram contrárias ao projeto, mas acabaram pressionadas pelos moradores, que discutem com a casa a apresentação de um projeto de lei semelhante para contemplar também a região.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Imóvel na planta é para quem pode esperar

O imóvel na planta é uma boa opção para quem não tem urgência em mudar de residência. Atrasos na entrega das chaves podem acontecer e não são incomuns. Por isso, quem optar por esse tipo de imóvel não deve ter pressa ou data específica para fazer a mudança.
Quem compra um apartamento na planta não pode financiá-lo através de bancos por não ter o Habita-se (documento emitido apenas no fim da construção que alega que o imóvel foi feito seguindo todas as exigências e pode ser habitado). Inicialmente o valor é parcelado pago diretamente às construtoras durante todo o tempo de construção. Neste caso, as parcelas pagas às construtoras não tem incidência de juros, mas sofrem correção segundo o índice Nacional de Custo da Construção (INCC).
Para evitar aborrecimentos, é importante fazer uma pesquisa sobre o histórico da empresa. Foto: Shutterstock.
Para evitar aborrecimentos, é importante fazer uma pesquisa sobre o histórico da empresa. Foto: Shutterstock.
O valor indicado no contrato vai aumentando até o imóvel ficar pronto e você passar o financiamento para o banco. Especialistas do mercado imobiliário afirmam que é comum as construtoras oferecem um desconto para pagamento adiantado, mas eles alertam que não é um bom negócio efetuar pagamento adiantado, pois muitos problemas podem acontecer antes da entrega do imóvel. Vale lembrar também que se a entrega do imóvel atrasar é ilegal continuar corrigindo o valor pelo INCC.
A segurança de um bom negócio começa mesmo com a escolha da construtora e incorporadora. Pesquise, analise o histórico da empresa. Pesquise no Conselho Regional de Engenharia e no Procon se há processos e se a obra está regularizada junto à prefeitura com alvará, registros e projetos anteriores.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

7 pré-conceitos sobre corretores de imóveis

Sabe aquelas lendas que assombram as profissões e viram verdades de tanto que são repetidas? Resolvemos listar 7 fatos que muita gente pensa serem reais sobre corretores de imóveis e explicar porque você deve desconsiderá-los de uma vez por todas.

1 - Corretores tentam “empurrar” imóveis ruins, disfarçados de bom negócio

Cada imóvel atende a um tipo de público. Corretores irão oferecer um apartamento ou casa que una custo e benefício, seja este qual for. Mas, pode acontecer um erro de comunicação entre cliente e corretor, e este achar, erroneamente, que você estaria satisfeito com determinado imóvel que não lhe agrada. Assim, antes de assumir que o corretor está sendo desonesto, informe que aquilo não é o que você está procurando e deixe seu padrão de qualidade bem claro.

2 – O corretor vai vender minha casa pelo preço que eu quiser

Se você é proprietário de um imóvel que deseja vender ou alugar, pode pensar que tem total controle sobre o valor de venda/aluguel do imóvel, pois o corretor está trabalhando para você. Só que não é assim que o mercado funciona. Existe o chamado de valor de mercado, e o seu corretor irá informá-lo sobre qual é o preço real de seu imóvel. Juntos, vocês irão definir o valor mínimo para fechamento de contrato, e ele fará o possível para vender pela melhor oferta que encontrar, principalmente se houver demanda. Mas, o valor de mercado é a base para isso e não pode ser ignorado.

3 – Contratar um corretor é perda de dinheiro

Na maioria dos casos, não contratar um corretor é que significa perda de dinheiro e, com certeza, de tempo. Por desconhecer a burocracia e as peculiaridades do mercado imobiliário, seu prejuízo pode ser muito maior.

4 – Corretores escondem informações importantes para vender

Corretores não vão esconder informações de você, pois é muito fácil ser desmascarado hoje em dia. E ninguém quer perder a credibilidade de uma vida por uma venda apenas. Mas, ele pode achar que você não está interessado em certos detalhes e acabar por não mencioná-los. Por isso, pergunte tudo aquilo que achar importante.

5 – Corretor mente sobre a demanda de mercado

Dizer que tem muita gente na fila pelo mesmo imóvel para fazer com que você se apresse em fechar negócio é algo razoavelmente simples de desmentir. E, na maioria dos casos, é a pura verdade, pois o mercado nacional está sempre ávido por bons imóveis. Assim, se você gostou daquele empreendimento, é bem provável que alguém mais concorde com você.

6 – As fotos das imobiliárias são sempre falsas ou maquiadas

As fotos que ilustram os sites das imobiliárias são feitas por profissionais que levam o trabalho deles a sério. Isso significa dizer que eles capricham na luz, escolhem o melhor ângulo e fazem retoques para garantir que você tenha a melhor visão do imóvel. Isso não significa que a imagem seja falsa ou maquiada, pois isto não é feito com a intenção de enganar, e sim de oferecer um recurso a mais em sua pesquisa.

7 – Não dá pra confiar em corretor, pois ele trabalha por comissão.

Então também não dá pra confiar em nenhum vendedor, pois todos ganham comissão. E nem por isso os produtos que eles vendem são ruins, com avarias ou quebram após um mês de uso. Corretores de imóveis não são diferentes de nenhum outro profissional, por isso não generalize. Agora que você já tirou os pré-conceitos da cabeça, está livre para ver o corretor de imóvel como seu aliado. Mas, se se sentir lesado de alguma forma, acione os órgãos competentes. A classe dos corretores de imóveis irá agradecer a ajuda em tirar do mercado aqueles que desmerecem a profissão.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

14 hábitos que te deixam mais rico

Arquivo/Você SA/EXAME.com
Dinheiro-Caixa
Dinheiro não cai do céu. O caminho para a riqueza, seja para obter um padrão de vida que inclua mansões e iates ou apenas para viver de forma confortável, exige muitos esforços e, principalmente, disciplina.
Hábitos simples podem fazer a diferença na hora de construir um patrimônio para a vida inteira. Veja alguns deles a seguir.
Gastar uma parcela representativa da renda com lazer com o intuito de recompensar a si mesmo por mais um dia difícil de trabalho pode prejudicar o futuro de quem compra o que deseja, e não o que precisa.

1. Compre o que precisa e não o que quer
Gastos diários com refeições fora de casa, festas, roupas, etc. podem ser nocivos para as finanças ao ocupar, no orçamento doméstico, o lugar de investimentos e economias que tenham efeitos duradouros.
"Quem vê gastos pequenos e frequentes como conquistas que o incentivam a continuar a trabalhar está conquistando pouco", diz o consultor financeiro Mauro Calil. "As justificativas emocionais devem ser trocadas por decisões racionais". 

2. Gaste menos do que ganha
Mesmo alguns milionários, que têm maior flexibilidade no orçamento, em alguns casos levam uma vida mais simples do que a sua renda permite. Dessa forma, é possível continuar a enriquecer, pois a folga no orçamento pode ser destinada aos investimentos e reservas financeiras.
Isso não significa que o padrão de vida não se deve ser elevado conforme a renda aumenta, apenas mostra que é necessário ter equilíbrio. 
Em caso de aumento do salário, por exemplo, Mauro Calil recomenda destinar metade do dinheiro que será recebido com o incremento na renda para consumo e despesas do mês e a outra metade para investimentos e a formação de uma reserva financeira.
Assim, é possível economizar e elevar o padrão de vida ao mesmo tempo, diz o consultor financeiro. "Essa estratégia pode ser aplicada sempre que a renda do investidor aumentar". 

3. Calcule se você pode pagar pelo que compra
Ao parcelar compras o consumidor deve ter consciência de que as parcelas mensais devem ser pagas rigorosamente em dia para evitar o pagamento de juros.
Para assegurar que a aquisição não coloque em risco a saúde do orçamento no futuro, é necessário monitorar os pagamentos e não comprometer mais do que 20% da renda líquida do mês com o crédito.
"É recomendável evitar financiamentos e preferir pagar as compras à vista", diz o economista da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Samy Dana. 

4. Tenha paciência
Nas palavras do megainvestidor americano George Soros, enriquecer é um processo enfadonho. Geralmente, grandes fortunas não são construídas da noite para o dia. Quanto maior o planejamento e o prazo para investir, maiores e mais sólidos tendem a ser os ganhos.
"Quando o objetivo é enriquecer, todo mundo quer ser a lebre ou a cigarra retratatadas em fábulas infantis, que trabalham pouco e desfrutam dos benefícios. Mas é preferível ser a formiga ou a tartaruga, que se esforçam e demoram mais para atingir suas metas", diz Mauro Calil.
Segundo o consultor financeiro, investimentos fáceis e rápidos costumam ser caracterizados por picos de ganhos, que podem ser seguidos por um período longo de dívidas, resultantes de eventuais prejuízos. Já os investimentos menos arriscados, que não possuem promessas de retornos absurdas, podem não gerar um rendimento tão alto, ou imediato, mas são mais garantidos.

5. Busque se livrar das dívidas
Os altos juros cobrados no Brasil podem destruir o patrimônio de quem fica inadimplente. As taxas podem dobrar o valor das dívidas em um ano, caso o consumidor utilize o cheque especial, por exemplo. Portanto, eliminar as dívidas devem ser sempre uma prioridade.
Samy Dana recomenda que o consumidor evite cair na cilada de acreditar que, se as parcelas cabem no bolso, o financiamento é barato.
"O crédito só deve ser usado em caso de emergência ou necessidade, como no caso da compra de um veículo que será utilizado como ferramenta de trabalho", diz o professor da FGV. 

6. Use o tempo a seu favor
No caminho para enriquecer, o tempo oferece vantagens.
Caso o investidor opte por aplicações de renda fixa, os rendimentos serão maiores e as alíquotas de imposto de renda menores ao deixar o dinheiro render por mais tempo. 
O prazo de investimento longo também é um aliado das aplicações de renda variável, como as ações.
"Um período mais longo torna possível investir em uma empresa que está passando por uma crise mas que tem potencial para crescer, cujas ações estão baratas, mas podem oferecer maiores ganhos no futuro", diz Samy Dana.

7. Entenda que dinheiro não compra felicidade
Enriquecer sem objetivos não é garantia de uma vida com realizações. Para que os investimentos e as economias façam sentido, é necessário ter objetivos financeiros no curto, médio e longo prazo. 
Dessa maneira, é possível direcionar esforços e evitar gastos desnecessários, impulsionados por frustrações que podem comprometer o orçamento no futuro. 

8. Tenha consciência de que imprevistos acontecem
Como é impossível prever o futuro, é necessário se prevenir para que as finanças não saiam do controle caso ocorram imprevistos, como uma situação de desemprego, ou uma doença na família.
Samy Dana recomenda formar uma reserva financeira, com aplicações de médio e longo prazo, com o intuito de pagar gastos inesperados. Nessa reserva, também chamada de colchão financeiro, é recomendável ter uma quantia que equivalha à soma da renda de pelo menos seis meses de trabalho.
As aplicações devem permitir que o dinheiro possa ser facilmente resgatado e sem a cobrança de penalidades altas. O ideal é diversificar o valor da reserva de emergência entre aplicações extremamente líquidas, como a poupança, e outros investimentos de renda fixa menos líquidos, mas que não sejam arriscados, como CDBs, fundos de renda fixa e títulos públicos. 

9. Não se iluda com pessoas que enriqueceram da noite para o dia
É comum associar a riqueza a ganhos fáceis, diz Mauro Calil. "Todo mundo sabe quando o atleta é campeão, mas ninguém vê que ele treinou 12 horas por dia para atingir este objetivo". 
O consultor financeiro recomenda não transformar casos raros, como de empresários que tiveram ideias brilhantes e enriqueceram de forma rápida, como regra. "A melhor maneira de construir um patrimônio financeiro sólido é trabalhar", afirma Calil. 

10.  Não tenha medo de pensar grande 
A ambição pode ajudar a enriquecer ao manter o investidor mais motivado e envolvido, na visão de Mauro Calil. 
Para o consultor financeiro, grandes metas mantêm a vontade de perseguir objetivos financeiros. Quem pensa grande não deve temer frustrações. "O investidor pode não conseguir chegar até a sua meta, mas no mínimo vai chegar mais longe", diz. 

11. Aprenda a administrar o dinheiro
É importante aprender a gerenciar o próprio patrimônio, para que as decisões não sejam sempre terceirizadas. Ao entender como administrar o patrimônio, é possível filtrar conselhos ruins e manter bons hábitos financeiros diariamente, sem depender de outra pessoa.
Fazer as aplicações corretas e utilizar as ferramentas adequadas é apenas uma pequena parte do processo, diz Mauro Calil. "O mais importante é saber controlar emoções para evitar gastos desnecessários". 

12. Faça o que gosta
Se sentir realizado no trabalho pode ser importante na construção de um patrimônio financeiro. O envolvimento incentiva o crescimento na carreira.
Gostar do que faz também afasta frustrações, que podem levar a gastos indevidos, diz Mauro Calil. "Trabalhar no que interessa exige menos esforços do que trabalhar apenas para pagar as contas no final do mês".

13. Vá atrás do dinheiro
Aplicar o dinheiro no banco no primeiro produto que aparece pode até gerar uma falsa sensação de dever cumprido, mas não é suficiente para fazer com que o patrimônio cresça.
É necessário monitorar de forma ativa os investimentos e comparar, periodicamente, os rendimentos oferecidos por diversas instituições financeiras. 
A pesquisa pode incluir, além de grandes bancos, bancos médios e bancos de investimentos, onde aplicações de até 250 mil reais também são protegidas pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) no caso de falência da instituição financeira. 

14. Invista em si mesmo
Especialistas recomendam investir em aplicações financeiras, mas, principalmente, em si mesmo. "Quem tem maior nível de educação costuma ganhar maiores salários, o que é essencial para sustentar o patrimônio no futuro", diz Mauro Calil. 
Em outras palavras, pode valer mais a pena investir em um curso no exterior, que pode revolucionar a carreira, do que investir os recursos em uma aplicação financeira.
Ainda que uma aplicação possa trazer retornos mais palpáveis inicialmente, seu potencial é muito mais limitado do que um investimento feito na carreira, cujos retornos podem não ter limites.

Doação de imóvel com reserva de usufruto elimina burocracia do inventário e preserva a herança

Priscilla Garcez tinha apenas 16 anos quando recebeu de sua avó de criação a doação de um imóvel em usufruto. Na época, pouco entendia sobre o que o termo significava. Hoje, aos 25, sabe que a intenção de dona Dagmar, de 96, era evitar as burocracias de um inventário, escolhendo, em vida, para quem queria deixar sua herança.
“Minha avó estava lúcida, aos 85 anos, quando decidiu doar um imóvel para minha mãe e deixar outro para mim, com reserva de usufruto para ela própria. Como eu era nova, ela temia que eu o vendesse. Fez isso justamente para que, caso sofresse algo, eu e minha mãe ficássemos seguras financeiramente. Hoje, ela tem 96 e sofre de mal de Alzheimer, mas já deixou tudo resolvido”, explica Priscilla, que recebe o aluguel do apartamento.
Doador protegido – Questões ligadas à doação de bens com reserva de usufruto estão entre as principais dúvidas dos leitores. Para o advogado Hamilton Quirino, especialista em Direito Imobiliário, o ato é mesmo aconselhável para quem quer evitar burocracias de um inventário e decidir em vida o destino dos bens, mas sem ficar desprotegido.
“É muito comum um casal querer doar um imóvel para um filho em vida, mas tendo a garantia de que o herdeiro não poderá vender o bem nem expulsá-los dele. Sendo assim, o doam com reserva de usufruto vitalício para eles próprios. A gente conhece os filhos, mas não os futuros genros”, afirma Hamilton Quirino.
Herdeiros legítimos têm direito a 50% – O imóvel não precisa ser doado necessariamente a um parente. O advogado Hamilton Quirino explica que os herdeiros diretos do doador não podem contestar a doação nem a reserva de usufruto. Mas os pais apenas podem dispor de metade de seus bens a quem não for filho.
” Um pai que briga com o filho não pode doar todos os bens a um terceiro ou a um único filho. Se ele o fizer, o herdeiro direto não privilegiado poderá requerer na Justiça a sua metade de direito”, explica o advogado.
Para doar um imóvel com reserva de usufruto, o proprietário do imóvel precisa pagar o Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), que corresponde a 2% do valor do bem, ao estado (o tributo é pago à prefeitura apenas em negociação de compra e venda), mais as custas do cartório, que giram em torno de R$ 1.600.
“É um procedimento cada vez mais comum, principalmente de pais para filhos. Eles querem evitar as burocracias do inventário”, diz Edson de Carvalho, dono do cartório do 20 Ofício de Notas.
Fonte: Revista Zap

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Reforma de Imóveis: Dicas de como saber se o seu precisa

Nem sempre é fácil saber se um apartamento ou casa necessita de uma reforma. Muitas vezes, estes sinais não são tão visíveis, o que pode acarretar em mais dificuldades para remodelar o espaço no futuro.
Dicas para Reforma em Casa





Para evitar custos desnecessários e não programados, especialistas em Arquitetura prepararam uma lista com sete situações que devem ser observadas com cuidado para uma reforma planejada:
Infiltração
infiltração em parede interna (3)_thumb[2]Este é o primeiro indício de problema na Construção.





paredes-e-forro-danificados-por-vazamento-e-infiltracao-de-agua-1305922378191_615x300Seus sinais mais comuns são o mofo, escurecimento ou estufamento das paredes, queda de azulejos, pisos levantados ou descolados.
Se não resolvida, pode chegar a danificar estruturas.
Evitar a infiltração é mais simples do que combatê-la, por isso, quando a reforma for realizada, é importante que os devidos cuidados sejam tomados para evitar retrabalho futuro.
Instalações
Podem levar a sérios problemas. Sua “validade” varia muito de acordo com a construção e qualidade dos produtos utilizados durante a execução do projeto.
luxo-imoveis-alphaville

As instalações envolvem fiação elétrica, estrutura hidráulica, ar-condicionado e automação.
Para problemas com curto-circuito, quedas repentinas de chave elétrica, canos estourados e retorno de água pelo ralo, o ideal é aproveitar e reformar as partes elétricas e hidráulicas, com ajustes estruturais e técnicos do imóvel.
automac3a7c3a3o_residencial
Quando esses problemas começam a aparecer, o ideal é aproveitar e fazer uma transformação geral par aproveitar o “quebra-quebra”.
capaz
Esquadrias
Com o passar do tempo, é norma que as esquadrias percam a estética, comecem a emperrar e não protejam mais o interior do imóvel.
2d077ebb6afcf64_1
Nesse caso, o melhor a fazer é trocar por esquadrias mais novas, de fácil manutenção, com vidro duplo para isolamento térmico e sonoro, por exemplo.
Isso valoriza muito o espaço e sua fachada.
luxo-imoveis-alphaville-3
Acabamento
Pisos, azulejos, papel de parede, pinturas e outros revestimentos naturalmente desgastam com o tempo, o que requer uma reforma.
A manutenção é sempre mais fácil e econômica do que a substituição desses acabamentos, como os pisos de tanquinhos, tipo parquet* que são de excelente qualidade, bom gosto e valorizam o imóvel.
Se a manutenção for deixada de lado, começam a descolar e devem ser trocados.

Compra do Imóvel
Localização perfeita, espaço ótimo e até área externa, mas a sala é muito pequena ou antiga. È norma que isso aconteça e, nesse momento, um reforma é sempre bem-vinda para adaptar a residência à necessidade do comprador. É possível quebrar paredes para ampliar a sala, por exemplo, ou ainda trocar a fiação elétrica de um apartamento antigo antes da mudança.
Philips-Hue-01-565x360
Estilo Arquitetônico
Não achar mais interessante o estilo da arquitetura também é um bom motivo para reformar.
Valderi_Camara_e_Adriana_Rabelo_antes_reforma_ap_20-11
O imóvel pode ser completamente repaginado.
A obra contempla, em especial, a mudança na decoração e no revestimento.
Na hora de vender um imóvel, esse tipo de intervenção também pode ajudar muito a valorizá-lo.
reforma





Estilo de Vida
quarto-de-bebê-berço-girafinha
Mudanças como o nascimento de um bebê, um filho sair de casa, entre outras podem requerer adaptações de ambientes para o novo estilo de vida dos moradores. Os espaços devem ser renovados para a nova fase de quem vive no local.

domingo, 12 de outubro de 2014

5 modelos diferentes de pias e cubas de banheiro

Modelos de parede, embutidos e feitos sob medida são algumas das novidades que dão um up na decoração

Quem disse que os banheiros e lavabos não merecem atenção quando se trata de decoração? Ao contrário do que ocorria há alguns anos, ao escolher as peças e acessórios é preciso levar em conta, além da funcionalidade e praticidade, o visual e o design.
Prova desta renovação são os arrojados modelos de pias e cubas disponíveis no mercado. Além de cores e formatos diferenciados, os materiais utilizados na produção são cada vez mais inovadores: vidro, resina, porcelana, inox, entre outros.
É de extrema importância a escolha da pia ou cuba adequada para a decoração do seu banheiro, pois é preciso seguir a tendência utilizada no ambiente a fim de garantir um visual agradável, aconchegante e, claro, bonito aos olhos.

Cubas embutidas
As cubas embutidas são os modelos mais tradicionais e utilizados. Sua instalação é feita pela parte inferior das bancadas de modo que fiquem encaixadas e totalmente escondidas. Para deixar a instalação mais bonita, é recomendado utilizar gabinetes fazendo com que o fundo da cuba seja disfarçado.

Cubas montadasAs cubas montadas são perfeitas para quem busca um design clean e moderno. Os bojos são fabricados no mesmo material da bancada, como na imagem acima, formando uma peça única. O grande diferencial das cubas montadas é a possibilidade de cores, materiais e formatos: as peças coloridas, por exemplo, fazem muito sucesso.
Neste modelo é possível utilizar ainda o sistema de válvula oculta, no qual há uma rampa na pia pensada para ocultar seu ralo.

Cubas de paredePara compor decorações minimalistas, as cubas de parede são excelentes opções. As peças são fixadas na parede sem a necessidade de gabinetes ou bancadas.
Uma boa escolha é combinar estas cubas com “bancadas invisíveis”, fabricadas em vidro ou acetato. O ambiente ficará, além de funcional e minimalista, totalmente moderno. No caso da imagem acima houve uma contra posição de tons, mas que resultou em um banheiro mais ousado.

Cubas de apoioAssim como as cubas embutidas, as cubas de apoio são bastante procuradas. Porém, neste caso, a atração deve-se ao design arrojado: a peça deixa os banheiros e lavabos mais leves, estilosos e refinados.
Os armários utilizados com as cubas de apoio devem ser especialmente mais baixos, quando comparadas às demais instalações. Por isso, é interessante planejar bem tais aplicações, já que o espaço livre no restante do ambiente será consideravelmente menor.

Cubas personalizadasAlém de todos os modelos prontos disponibilizados pelos fabricantes, quem preza por exclusividade pode optar pelas cubas personalizadas. Os modelos exclusivos são fabricados sob medida no material e formato que o consumidor desejar.
O projeto da cuba pode ser feito tanto pelo cliente quanto por um arquiteto. Quanto aos materiais, o mais desejado é, sem sombra de dúvidas, o mármore. Além de oferecer sofisticação ao lavabo, o material permite diversos tipos de corte, tornando fácil a adaptação a qualquer projeto.

Dicas para envolver o seu filho na organização da casa

Incluir as crianças na organização doméstica faz com que elas se sintam parte da dinâmica familiar, integrando-as ao lar
Por Leticia Lepchak*
Certamente quem tem filho em casa sabe a dificuldade que é de manter a casa organizada. Mas, criança não precisa ser sinônimo de bagunça, pois com persistência e dedicação é possível descomplicar e manter tudo no lugar.
Muitos educadores, psicólogos e pediatras concordam sobre a importância de envolver as crianças na rotina doméstica. Em entrevista, o Dr. Luiz Guilherme Araújo Florence, afirmou que mesmo com pouca idade a criança já possui capacidade motora suficiente para desempenhar uma série de atividades. E que quando a criança é incluída em tarefas domésticas, ela passa a participar da dinâmica familiar e isso faz com que sinta que pertence àquele lugar.
Isso une a família e ajuda seu filho a entender também como funcionam as coisas. Completa ainda dizendo que ela vê como as atividades feitas pelos pais são difíceis e passa a respeitar e valorizar mais esses momentos. Indiretamente, faz ainda com que ela entenda conceitos de moral, ética e hierarquia.
A partir disso, podemos elencar como primeiro passo é envolver as crianças na organização. Sempre que for realizar uma tarefa, chame seu filho e explique o que está fazendo. Lembre-se que cada idade possui tarefas apropriadas para ela, por exemplo:
- 2 a 4 anos a criança pode guardar os brinquedos nos lugares corretos e colocar sua roupa no cesto;
- 5 a 7 anos: pode ajudar a arrumar a mochila da escola e guardá-la quando chegar;
- Acima de 8 anos: a criança pode lhe auxiliar a guardar as compras de supermercado, colocar a mesa para o almoço e fazer a cama;
- Pré-adolescentes e adolescentes podem ajudar com a limpeza da casa, ajudar com o irmão mais novo, fazer seu próprio lanche, arrumar seu quarto e estender a roupa lavada.
Você pode fazer listas, como um cartaz da rotina diária. Para crianças pequenas, você pode apenas desenhar o que deve ser feito. Pendure esse cartaz na geladeira, no quarto do seu filho ou em outro lugar que fique na altura da vista dele. Isso gera segurança ao seu filho e, depois de alguns dias, a criança começa a se acostumar e as atividade viram rotina. 
Alguns exemplos para isso estão nas fotos abaixo:
l1l2l3É importante estimular e encorajar as crianças, pois elas se sentirão melhores. Outra dica é não tratar a organização como uma obrigação, ou fazer com estresse, muito menos gritar e brigar. Desta forma a criança vai achar a atividade chata e não iria mais se animar para organizar coisa alguma.
Outra dica importante é ensinar que quem desarruma é responsável por colocar os objetos de volta aos seus lugares. Por isso dê o exemplo e mantenha suas coisas em ordem, assim a criança poderá organizar seus pertences mais facilmente.
Entretanto, para isso, antes de tudo você deve ensinar aonde é o lugar de cada coisa. Uma sugestão é utilizar etiquetas após separar os objetos por categorias, e para crianças pequenas, utilize desenhos. Você pode usar esta técnica também no guarda-roupa, afinal muitas vezes as crianças não arrumam as suas coisas porque não sabem como fazer, e desta forma, ela saberá onde estão suas coisas e onde devem guardá-las depois que usar.l4l5Além disso, você pode instituir uma “caixa de guardados”, onde tudo o que foi deixado fora do lugar vai ser colocado ali, e ficará confiscado por alguns dias. Você ainda pode estabelecer recompensas ou punições para cada tarefa, mas isso deve ser combinado previamente com a criança.
Por fim, lembre-se que tudo isso não pode ser estressante, deve ser uma tarefa divertida tanto para os pais quanto para as crianças. Vá com calma, um passo de cada vez. Relaxe, cuide do seu filho e exercite o “cada coisa em seu lugar”. O importante é a sua dedicação, afinal será recompensador.
Letícia Lepchak é formada em Marketing e Propaganda pelo Centro Europeu, graduanda em Marketing pela PUC-PR e certificada como Personal Organizer pela Facilita Organização. Sempre foi uma apaixonada por organização, e viu nesta profissão a possibilidade de trabalhar com o que ama e melhorar a vida de quem precisa.

Veja como consultar débitos de IPTU

Se o seu imóvel possui débitos em atraso relativos ao IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e você deseja consultar o valor atual da dívida, é muito simples. A maioria das prefeituras disponibiliza o serviço online de consulta de débitos. Basta acessar o site da prefeitura da sua cidade e ter em mãos o número de inscrição do imóvel. Rapidamente você saberá o valor da sua dívida e poderá imprimir sua guia de pagamento.
xxxxxxxxxxxx
Entre no site da prefeitura da sua cidade e consulte o débito do IPTU do seu imóvel. Foto: Shutterstock.
É bom pagar o IPTU atrasado o quanto antes. Frequentemente as prefeituras divulgam prazos de quitação de dívida com desconto. Verifique se a sua cidade oferece essa facilidade.

Veja na lista como consultar débitos de IPTU na sua cidade.
Campo Grande: http://apl01.pmcg.ms.gov.br/Iptu/indexIptu.jsp
 
Curitiba: http://www.curitiba.pr.gov.br/servicos/cidadao/divida-ativa/61
 
Distrito Federal: http://www.fazenda.df.gov.br/area.cfm?id_area=1072
 
Florianópolis: http://www.pmf.sc.gov.br/servicos/index.php?pagina=servpagina&id=3547&menu=2
 
Fortaleza:http://www.sefin.fortaleza.ce.gov.br/servicos/formularios/consulta_imovel.asp
 
Goiás: https://www.goiania.go.gov.br/asp/duam/iptu.asp
 
João Pessoa: http://www.joaopessoa.pb.gov.br/pc/imoveis/FichaCadastral.do?method=carregar
 
Maceió: http://www3.smf.maceio.al.gov.br:8084/e-agata/servlet/hwtconsultadebitos_v2?1
 
Minas Gerais: http://187.72.229.145/esiat/Consulta_Unica_Index.aspx?Origem=Menu
 
Natal: http://www.natal.rn.gov.br/semut/plantaofiscal/plantao_iptu.php#sab
 
Pernambuco: http://www.recife.pe.gov.br/pr/secfinancas/orientacao/sfca71.php
 
Porto Alegre: http://www2.portoalegre.rs.gov.br/smf/default.php?p_secao=166
 
Rio de Janeiro: http://www.rj.gov.br/web/poupatemporj/exibeconteudo?article-id=311572
 
Salvador: http://www.sefaz.salvador.ba.gov.br/Iptu/consultaDebito?Length=4
 
São Paulo: http://www3.prefeitura.sp.gov.br/iptudeb3/iptudeb3_pag01.asp
 
Vitória: http://sistemas7.vitoria.es.gov.br/divida.ativa/