domingo, 28 de setembro de 2014

Casa de madeira: conheça o projeto e suas vantagens

Casa de madeira pode ser projetada em qualquer tamanho (Fotos: Divulgação)
Casa de madeira pode ser projetada em qualquer tamanho (Fotos: Divulgação)
Construir uma nova casa pode ser caro e trabalhoso, já que envolve muita coisa como a compra de um terreno, a contratação de uma arquiteta para a produção do projeto e, por fim, a obra. Uma boa alternativa são as casas de madeira pré-moldadas. Elas caem bem em qualquer região e em qualquer clima.
Aconchegante, este tipo de imóvel é construído rapidamente e projetado com o gosto do cliente. São muitas opções e o valor cobrado varia de acordo com o desenho e tamanho da casa. Segundo Rodolfo Dias, vendedor da empresa BonCasa, a casa já é construída na fábrica e vai pré-moldada para o local de instalação. Um projeto de 100 m² é finalizado em apenas 15 dias.
“A casa é agradável, no inverno ela é quente e no verão se torna fresca. [O Cliente] pode montar do jeito que quiser e, se um dia quiser aumentar, é fácil de fazer por ser uma obra limpa e sem muita sujeira”, diz Dias.
Toda parte estrutural, além das paredes, é feita em madeira de lei, Peroba ou Grápia, e com acabamento em cedrinho. As paredes têm sistema de painéis, revestidas com lambri. O assoalho de madeira é colocado nas salas, quartos e corredores. O que fica por conta do comprador são os azulejos da cozinha e do banheiro. A empresa entrega, ainda, a casa envernizada, com portas, janelas, telhas e manta térmica.
Um ponto interessante é que o valor da obra, dificilmente, sai do preço inicial e do tempo indicado para construção.
Casa com varanda pode ficar um pouco mais cara
Casa com varanda pode ficar um pouco mais cara
“O cara que compra a nossa casa já sabe quanto vai gastar no final da obra. Ele consegue ter um controle melhor dos gastos. Em até trêss meses a casa está pronta”, afirma Dias.
Segundo Dias, atualmente o público que mais procura por este tipo de imóvel é da classe A, mas é viável para qualquer pessoa. Existem projetos com preço a partir de R$ 17.250 para uma moradia de 18 m². Uma casa de 150 m² custa R$ 101.450. O valor médio do m² gira em torno de R$ 850.
“O nosso cliente procura um produto nobre e tem um terreno um pouco maior. Nós atendemos em qualquer região, seja praia, cidade ou campo”, diz o vendedor.
Por ser um isolante térmico natural, a madeira dificilmente provoca incêndios, segundo Dias. O conforto é percebido através da manutenção da temperatura em qualquer época do ano. A capacidade da madeira de absorver calor é dez vezes menor do que o cimento e 40 vezes menor que o tijolo.
Paredes internas também são construídas em madeira
Paredes internas também são construídas em madeira
Já sobre os cupins, é recomendável que o solo da construção seja imunizado. Mesmo assim, a madeira utilizada é de boa qualidade, com resistência natural ao cupim, segundo o atestado do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
Manutenção – Por lei, as empresas são obrigadas a dar cinco anos de garantia em caso de problemas estruturais. A manutenção que o proprietário deve fazer para manter a casa bem conservada é simples e não exige mão de obra especializada.
A cada dois anos é necessário passar uma lixa para tirar o brilho do verniz e aplicar uma nova mão na parte externa, por conta da incidência de raios solares na madeira. O verniz utilizado é o marítimo, que possui filtro solar e aguenta grandes pancadas de chuva em sua estrutura.
Na parte interna da casa é aconselhado que o mesmo procedimento seja executado de quatro a seis anos após a primeira aplicação.
Na parte da limpeza interna, de pisos e paredes, Dias diz que o melhor a se fazer é passar um pano úmido pela casa.
Casa com portas de vidro permite a iluminação natural
Casa com portas de vidro permite a iluminação natural
Além da construção – O proprietário fica responsável por toda a parte hidráulica do imóvel, além e outros itens. Veja a lista de coisas que não estão inclusas nos projetos da BonCasa:
Parte elétrica, hidráulica, alvenaria de banheiro, alicerce de varanda, cozinha e revestimento, material para base, areia, cimento, cal, tijolos, vidros, caixa-d´água, fossa, raspagem de assoalho, sinteco, terraplanagem e compactação do solo, embalsamento do telhado, calhas, rufos, lustres, documentação e aprovação junto ao órgão competente.

Saiba qual é o cachorro de estimação ideal para cada imóvel

Muitos lares brasileiros não abrem mão de ter um cãozinho correndo pelos quatro cantos da casa e alegrando a vida da família. Porém, além de tempo e cuidado, algumas raças necessitam viver em ambientes adequados ao seu perfil e condições físicas. É por isso que até o tamanho ou a estrutura do imóvel pode influenciar a escolha do morador por um determinado cachorro.

Cães da raça Golden são ótimas companhias para donos de casas com quintais ou de apartamentos grandes (Fotos: Shutterstock)
De acordo com a veterinária Giuliana Tessari, da clínica Pet Center Marginal, os cães da linhagem Teckel devem ser evitados em casas que possuem escada, pois a raça tem predisposição a desenvolver problemas de coluna devido ao corpo alongado e as patas curtas. Logo, a tarefa de subir e descer os degraus pode prejudicar a saúde desse animal.

Donos de cães da raça Teckel também devem impedir que o animal tenha problemas de sobrepeso, já que esse fator acirra os problemas de coluna

A veterinária Karina Apude, da Planet Dog Resort, diz que o morador sempre deve considerar se o grau de atividade do animal condiz com seu estilo de vida.  Cães da raça Border Collie, por exemplo, não são recomendados para apartamentos, pois costumam ser hiperativos. Logo, vivem melhor em casas com áreas externas amplas e com donos dispostos a encarar toda essa energia.Já o Shih Tzu e a Lhasa são recomendados para apartamentos com ou sem crianças, pois os bichinhos, além de brincalhões, são mais silenciosos, característica que pode evitar problemas com os vizinhos.

Cachorros da raça Border Collie têm energia de sobra e precisam de donos dispostos a oferecer passeios, alimentações diárias e banhos quinzenais
Para Giuliana, quem mora em apartamentos amplos podem arriscar um pouco mais e adquirir filhotes de porte médio e grandes, desde que sejam de raças silenciosas, como Goldens, Whippet, Dalmata e Chowchow. Karina completa a lista com Cocker Spaniel, Bulldog Inglês e Bulldog Francês.

O Bulldog Frances exige pouca atividade física e é uma boa opção para quem mora em apartamentos grandes


Sociável, o Cocker Spaniel precisa de passeios, mas vive bem dentro de casa
Os moradores de apartamentos compactos ou de casas sem quintais também contam com boas opções de cães de pequeno porte, como Malteses, Shih Tzu, Lhasa, Teckel e Spitz. Esses cachorros têm poucas chances de sofrer com o confinamento ou com o estresse.

O Spitz é um cãozinho que se satisfaz com atividades em casa ou pequenos passeios


O Shih Tzu e a Lhasa se adaptam bem a apartamentos e são ótimas companhias para as crianças

Doação de imóvel com reserva de usufruto elimina burocracia do inventário e preserva a herança

Priscilla, com as chaves do imóvel que tem reserva de usufruto para a avó: "Ela queria me deixar segura financeiramente" (Foto: Roberto Moreyra)
Priscilla, com as chaves do imóvel que tem reserva de usufruto para a avó: "Ela queria me deixar segura financeiramente" (Foto: Roberto Moreyra)
Priscilla Garcez tinha apenas 16 anos quando recebeu de sua avó de criação a doação de um imóvelem usufruto. Na época, pouco entendia sobre o que o termo significava. Hoje, aos 25, sabe que a intenção de dona Dagmar, de 96, era evitar as burocracias de um inventário, escolhendo, em vida, para quem queria deixar sua herança.
“Minha avó estava lúcida, aos 85 anos, quando decidiu doar um imóvel para minha mãe e deixar outro para mim, com reserva de usufruto para ela própria. Como eu era nova, ela temia que eu o vendesse. Fez isso justamente para que, caso sofresse algo, eu e minha mãe ficássemos seguras financeiramente. Hoje, ela tem 96 e sofre de mal de Alzheimer, mas já deixou tudo resolvido”, explica Priscilla, que recebe o aluguel do apartamento.
Doador protegido – Questões ligadas à doação de bens com reserva de usufruto estão entre as principais dúvidas dos leitores. Para o advogado Hamilton Quirino, especialista em Direito Imobiliário, o ato é mesmo aconselhável para quem quer evitar burocracias de um inventário e decidir em vida o destino dos bens, mas sem ficar desprotegido.
“É muito comum um casal querer doar um imóvel para um filho em vida, mas tendo a garantia de que o herdeiro não poderá vender o bem nem expulsá-los dele. Sendo assim, o doam com reserva de usufruto vitalício para eles próprios. A gente conhece os filhos, mas não os futuros genros”, afirma Hamilton Quirino.
Herdeiros legítimos têm direito a 50% – O imóvel não precisa ser doado necessariamente a um parente. O advogado Hamilton Quirino explica que os herdeiros diretos do doador não podem contestar a doação nem a reserva de usufruto. Mas os pais apenas podem dispor de metade de seus bens a quem não for filho.
” Um pai que briga com o filho não pode doar todos os bens a um terceiro ou a um único filho. Se ele o fizer, o herdeiro direto não privilegiado poderá requerer na Justiça a sua metade de direito”, explica o advogado.
Para doar um imóvel com reserva de usufruto, o proprietário do imóvel precisa pagar o Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), que corresponde a 2% do valor do bem, ao estado (o tributo é pago à prefeitura apenas em negociação de compra e venda), mais as custas do cartório, que giram em torno de R$ 1.600.
“É um procedimento cada vez mais comum, principalmente de pais para filhos. Eles querem evitar as burocracias do inventário”, diz Edson de Carvalho, dono do cartório do 20 Ofício de Notas.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

WLS Corretor de Imóveis – CRECI 47.325 implementa atendimento via WhatsApp para clientes.


ICQ, MSN Messenger, Bate Papo do uol, todos essas ferramentas de chat nunca foram tão populares como o WhatsApp. Com mais de 600 milhões de usuários ativos, é o aplicativo de chat mais utilizado do mundo, e desde que foi comprado pelo Facebook por um valor de US$ 16 bilhões não para de crescer.
Pensando nisso, e para facilitar a vida do nosso público que já é acostumado a usar o aplicativo, disponibilizamos esta forma para que o cliente possa interagir conosco num ambiente onde ele já utiliza e confia.
As vantagens de se usar este aplicativo no mercado imobiliário são: envio de fotos e vídeos referente a algum imóvel, mensagens de voz e dados da sua localização quando o cliente está conversando com o corretor.
Esperamos em breve divulgar bons resultados através desta nova forma de atendimento.
Quer ser um dos primeiros a usar essa tecnologia para ajudar na escolha do seu imóvel?
Envie um WhatsApp para (21) 98156-2335
Corretor Wanderson Silveira

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Exclusividade: Vantagem ou Desvantagem?

Vender e comprar imóveis de forma mais segura e eficiente.
exclusividade
Essa é uma das vantagens em deixar seu imóvel para um corretor de imóveis credenciado pelo CRECI  captar em exclusivo.
Ter um contrato de exclusividade, que condicione a venda de determinado imóvel a um único corretor ou imobiliária, reflete diretamente na qualidade da negociação. Em todo o país, o COFECI (Conselho Federal de Corretores de Imóveis) assim como o CRECI (Conselho Regional de Corretores de Imóveis) tem voltado a intensificar a luta pelo contrato de exclusividade.
corretor-de-imc3b3veis-captador
Hoje, a maioria das imobiliárias anuncia seus imóveis no jornal e na internet. O que ocorre costumeiramente é que o proprietário erroneamente repassa seu imóvel à venda a diversos profissionais. Quando o consumidor vê o mesmo imóvel anunciado em várias imobiliárias ele acha que o proprietário está “desesperado” para vender. Com isso acaba dando uma oferta menor. Ou seja, isso desvaloriza o imóvel. É algo ruim para o proprietário.
Contrato_Unilago
Além disso, existe o perigo em entregar as chaves para visitantes. É importante ter o cadastro de quem faz as visitas, principalmente nos grandes centros urbanos. Quando se escolhe várias imobiliárias, fica mais difícil responsabilizar uma delas por algo que eventualmente ocorra. Se o proprietário escolhe apenas uma, ele pode responsabilizá-la por danos. Isso é ainda pior quando o proprietário ainda mora no local, pois não é só o imóvel, mas a sua família que está em risco.
c79d1be36d2a0ced95a17da1add13d341
Para o comprador também é muito positivo, pois tem a comodidade de saber que o imóvel que vai visitar por uma determinada imobiliária não é o mesmo que já visitou por outra. O que ocorre muito é que as imobiliárias anunciam o mesmo imóvel de forma diferente. Muitas vezes a pessoa se interessa pelo imóvel e quando vai visitá-lo, descobre que já esteve lá com outro corretor.
shutterstock_75280198
Para o corretor, captar em exclusivo é mais tranquilo, pois ele sabe que, quando negociado, aquele imóvel vai ter a sua remuneração. Quando há um imóvel exclusivo, ele trabalha com tanto interesse que acaba vendendo. Todas as partes envolvidas têm grandes vantagens.
Sem a exclusividade, o proprietário oferece seu bem por três ou quatro imobiliárias diferentes. Muitas vezes esse imóvel tem dois ou três interessados. Logicamente, não pode ser vendido a mais de um comprador. Isso cria um imbróglio jurídico* grande.
Contrato_Unilago
Outro problema é quando um interessado visita o imóvel por uma imobiliária, mas só decide fazer a compra no futuro, com outra imobiliária. Neste caso o primeiro corretor, que fez o registro do cliente, tem direito à remuneração pela venda. Mas o segundo corretor, que talvez tenha argumentado melhor, também tem direito. Isso cria um impasse. A não ser que um deles decida abrir mão dos honorários, o que é praticamente impossível, pois houve um grande trabalho ali.
Já com relação à visibilidade do imóvel: Muitas imobiliárias estão interligadas em rede. Assim, o imóvel pode ser divulgado por várias empresas, mas um só com a Exclusividade. Porém, só este corretor, da Exclusividade, cuidará da finalização da venda.

Habite-se: Documento fundamental na compra de um imóvel novo

Quem comprou um imóvel novo precisa se certificar que determinados documentos estão em ordem antes de começar a planejar a mudança. E um dos pontos fundamentais dessa lista de itens obrigatórios é o Habite-se, documento emitido pela Prefeitura, que garante que a construção cumpriu tudo o que estava previsto no projeto aprovado. fortaleza_cearaO Habite-se é
requerido assim que a obra está finalizada e corresponde à garantia de que o imóvel atende às exigências da legislação municipal e das concessionárias de serviços públicos.

Leia abaixo 8 aspetos importantes sobre o documento.
1. O Habite-se deve ser emitido tanto para edifícios recém-construídos como para aqueles que passaram por grandes reformas. Isso porque a sua função é atestar que o prédio está pronto para receber ocupantes.
d958cd3a92682. A solicitação tem de ser feita logo ao término da obra. Após isso, é necessário aguardar a vistoria, responsável por checar se o prédio foi construído segundo o planejamento inicialmente aprovado.
3. Se não houver divergências entre o projeto e a construção, o Habite-se pode ser emitido em poucos dias. Porém, quando qualquer problema é identificado, a certidão só é liberada depois da solução dos pontos em desacordo.Habite-se3
4. O ideal é exigir que o Habite-se seja apresentado pela construtora ou pelo corretor na entrega das chaves, pois as entidades que financiam a compra de imóveis exigem a certidão para que o empréstimo seja concedido.
Alguns cuidados na hora de comprar um imóvel na planta5. Um imóvel que não possui Habite-se perde valor de mercado, não pode ser registrado no Registro Geral de Imóveis nem ser financiado em instituições financeiras. No caso de estabelecimentos comerciais, as unidades também não recebem alvará para funcionamento, tornando difícil a sua locação.habite-se
6. Ao se mudar para um imóvel que não recebeu a devida autorização da prefeitura, além de cometer erro, a pessoa estará sujeita à multa em função do documento não ter sido liberado. Lembro que contas de água, luz, telefone ou gás e até mesmo o carnê do IPTU não significam que o imóvel esteja regularizado.
7. O custo da certidão varia de acordo com o município.
mercado-imobiliario3ok
8.Após a concessão do Habite-se, a incorporadora deverá requerer a averbação da construção das edificações, para a individualização e a discriminação dos apartamentos.
Obs: Um imóvel pode ser quitado ainda na planta, mas tome cuidado, pois você deve estar seguro quanto à condição financeira do construtor. O habite-se não possui vinculação com a aquisição e quitação do imóvel, mas com a sua regularização junto ao poder público, como condição para averbação no Cartório de Registro de imóveis.
Dúvidas e Riscos:
Eu consigo comprar um imóvel sem Habite-se?Sim, mas poderá ter  problemas futuros. O primeiro deles é que boa parte das Instituições Financeiras exigem esta documentação. Depois, o imóvel sem Habite-se é considerado irregular e vale menos no momento da revenda. Além disso, você não consegue registrar o imóvel em seu nome sem esta certidão. Dica: Se você comprou o imóvel na planta e o Habite-se ainda não saiu, tente esperar para se mudar.
Posso perder o imóvel se eu fizer a compra sem o Habite-se?Sim, mesmo que você pague um sinal (valor que paga de entrada na compra). Isso acontece porque se este documento não for liberado, a Construtora não entregará a chave e nem sempre você recupera o dinheiro. Por isso, por mais que esteja empolgado com a compra, respire fundo e prefira pensar um pouco nos problemas que pode ter.
Se o proprietário do imóvel paga IPTU significa que o imóvel está regular? Não. Tanto o IPTU quanto as contas de água, telefone e luz não garantem que o imóvel está com a documentação em dia. Por isso, não confie nesta informação e vá atrás dos documentos certos.
É possível regularizar a situação de um imóvel sem Habite-se? Depende. Se você ficou interessado em um imóvel que não tem Habite-se, vá à Prefeitura local e confirme se a obra foi autorizada. Em alguns casos, a emissão do Habite-se está demorada, mas vai sair. Informe-se na própria Prefeitura e com outros proprietários se alguém já deu entrada na solicitação do Habite-se e levou os documentos necessários. Agora, se você não encontrar o memorial da obra ou se achar que o Habite-se não está garantido, fuja desta compra.
Dica da autora: Consulte um Corretor de Imóveis credenciado pelo CRECI. Além de orientá-lo, você estará seguro na compra do seu imóvel.

Construtora norte-americana faz casas com suíte para cachorro

Os cães ocupam uma parte importante da vida de muitas pessoas, eles se tornaram um membro da família. Percebendo isso, uma construtora norte-americana fez casas com uma suíte especial para cachorro.

Cachorros terão uma suíte especial nessas casas. (Foto: Reprodução / Daily Mail uk / AP Photo/ Standard Pacific Homes, A.G. Photography, Anthony Gomez)
Cachorros terão uma suíte especial nessas casas. (Foto: Reprodução / Daily Mail uk / AP Photo/ Standard Pacific Homes, A.G. Photography, Anthony Gomez)

O mercado pet está em constante crescimento e novas ideias estão sempre surgindo, mas essa novidade surpreendeu.
A Standard Pacific Homes está vendendo 27 casas com esse espaço canino. A suíte mais luxuosa é um paraíso de aproximadamente 15 metros quadrados com espaço para banho, área de secagem com uma máquina, purificador de água, alimentadores automáticos, uma grande cama estilo beliche, uma sacada para o cachorro correr, televisão e armários para brinquedos, petiscos e comidas.
A ideia de oferecer esse tipo de suíte surgiu após alguns estudos de habitação, onde foi possível perceber que os cachorros sempre estavam entre os temas mais importantes para as pessoas.
E a American Pet Products Association informou que 68% dos norte-americanos têm bichos de estimação.
Será que essa novidade chega ao Brasil?

Espaço para banho na suíte canina. (Foto: Reprodução / Daily Mail uk / AP Photo/ Standard Pacific Homes, A.G. Photography, Anthony Gomez)
Espaço para banho na suíte canina. (Foto: Reprodução / Daily Mail uk / AP Photo/ Standard Pacific Homes, A.G. Photography, Anthony Gomez)

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Teste seu conhecimento: você sabe a diferença entre área útil, total, comum e privativa de apartamentos?

Quando você busca imóveis para comprar ou alugar pela internet é comum encontrar nos anúncios indicações sobre quantos dormitórios, garagens e suítes há no apartamento. Não raro, também tem informações sobre qual é área útil e total do apartamento, assim como uma descrição sobre os itens da área comum. As informações disponíveis nas ofertas variam muito de uma para a outra, e alguns termos podem causar confusão. É bom ficar atento e estar por dentro do que esses termos significam para não levar “gato por lebre”. E você, sabe a diferença entre eles? Veja a explicação abaixo:
Saiba a diferença entre área útil, total, comum e privativa de apartamentos. Foto: Shutterstock
Saiba a diferença entre área útil, total, comum e privativa de apartamentos. Foto: Shutterstock
Área Útil
É o espaço interno do imóvel, medidos a partir do piso, excluindo as paredes. Ou seja, todos os espaços que você usa como habitação (sala, cozinha, quarto, banheiro, corredores e lavanderia). Assim, a garagem, a varanda e as áreas de lazer cobertas não são incluídas.
Área Total
É a soma da área privativa com a área comum de divisão proporcional entre os condôminos.
Área Comum
É tudo que for construído no condomínio para todos usarem como piscina, salão de festas, jardins, recepção, churrasqueira, sauna, bar, corredores, escadas, salão de jogos e outros equipamentos da edificação.
Área Privativa
É a área do imóvel de uso exclusivo de seu proprietário, sejam elas cobertas ou descobertas, incluindo vagas de garagem e cômodos de despejo.  É delimitada pela superfície externa das paredes que separem de outra unidade, no mesmo piso.

Os bancos com as melhores e piores taxas de financiamento imobiliário

Realizar o sonho da casa própria nem sempre é possível ser à vista. É neste cenário que o financiamento imobiliário ganha força em todo o País. Segundo dados da Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança), o volume de empréstimos para aquisição de imóveis somou R$ 10,4 bilhões em julho, crescimento de 4,3% em relação ao ano anterior e 14,1% ante o mês anterior, junho.
Para estimular o mercado de crédito, o governo também tem anunciado uma série de medidas que facilitam o financiamento de imóveis e carros. Um deles é concentrar as informações em apenas um cartório, para facilitar o processo de registro de imóveis, diminuindo assim os custos, tempo de processo e compra, além de reduzir riscos. A mudança também permite o comprador dar um imóvel quitado como garantia para adquirir o empréstimo habitacional com juros menores.
Recorrer ao financiamento imobiliário, no entanto, também requer alguns cuidados, principalmente, na escolha do banco – para que as taxas de juros não corroam o seu bolso a cada mês. Para isso, pesquisar as melhores taxas de juros de financiamento de imóvel é fundamental.
Nesta modalidade, os juros podem ser cobrados de duas maneiras: linhas pré-fixadas (que têm juros acordados no ato da contratação e permanecem as mesmas até o fim do financiamento) e as linhas pós-fixadas (com taxas de juros prefixadas e corrigidas pela variação da Taxa Referencial, que poderá ser maior ou menor que a taxa básica de juros, a Selic). Veja abaixo os principais bancos que oferecem taxas de juros pré e pós-fixadas de financiamento imobiliário:
Os bancos com as melhores e piores taxas de financiamento imobiliário
Financiamento imobiliário com taxas reguladas (pré-fixado)
Instituição Taxa % a.m. Taxa % a.a.
*Período: julho/2014
Banco Citibank
0,64
8,02
Banco Santander
0,86
10,79
Caixa Econômica Federal
0,91
11,48
Banco do Brasil
0,96
12,18
Financiamento imobiliário com taxas de mercado (pré-fixado)
Instituição Taxa % a.m. Taxa % a.a.
*Período: julho/2014
Banco Citibank
0,66
8,21
CH Piratini – CHP
0,91
11,43
Banco Santander
1,26
16,23
HSBC
1,35
17,43
Banco do Brasil
1,40
18,16
Financiamento imobiliário com taxas reguladas (pós-fixado referenciado pela TR)
Instituição Taxa % a.m. Taxa % a.a.
*Período: julho/2014
Banco do Brasil
0,50
6,16
Caixa Econômica Federal
0,61
7,58
HSBC
0,69
8,54
Banco Santander
0,69
8,16
Banco Bradesco
0,70
8,72
Itaú Unibanco
0,77
9,64
Financiamento imobiliário com taxas de mercado (pós-fixado referenciado pela TR)
InstituiçãoTaxa % a.m.Taxa % a.a.
*Período: julho/2014
Banco Santander
0,70
8,71
Banco Bradesco
0,73
9,08
Itaú Unibanco
0,76
9,45
Banco do Brasil
1,22
15,61
Banco BMG
1,29
16,67
Caixa Econômica Federal
1,47
19,15
Os cuidados e requisitos para o financiamento imobiliário O diretor da consultoria imobiliária Qualiti Imóveis, Fabiano Neaime, aconselha preparar os documentos com antecedência para ganhar tempo quando achar o imóvel. Se for assalariado, os documentos necessários para fechar o negócio são RG, original e cópia, CPF, original e cópia, comprovante de estado civil, original e cópia, e comprovante de renda (holerite), original e cópia.
Caso seja autônomo ou profissional liberal é necessário comprovar renda por meio do contrato de prestação de serviços, declaração do Imposto de Renda, declaração do sindicato da categoria, registro de recebimento por trabalhos prestados ou uma Declaração Comprobatória de Recepção de Rendimentos (Decore), feita por um contador.
Segundo Neaime, é preciso tomar cuidado na hora de fazer simulações pela internet, uma vez que nem sempre a aprovação na internet condiz com a realidade. “Já vi casos de pessoas que seriam aprovadas na simulação, mas quando pediram crédito ele foi negado pelo banco”, disse.
O diretor explica que, normalmente, o crédito é aprovado quando o valor financiado ocupa cerca de 30% da renda do comprador – um problema se ele for autônomo e não declarar sua renda à Receita. “A pessoa pode comprovar com extratos bancários e imposto de renda. Hoje também é possível fazer composição de renda, com seu conjugue ou irmão, para aprovar o financiamento”, conclui Fabiano.
Fonte: Info Money

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Adquirir terreno e construir casa pode sair 50% mais em conta do que comprar uma

Como diz o ditado, quem casa, quer casa. Mas a jornalista Érica Soares, de 28 anos, não queria um apartamento ou uma moradia como as tantas que existem à venda. Queria construir um cantinho do seu jeito. Comprou um terreno financiado, em São Gonçalo. Vendeu um apartamento para conseguir a verba para a construção. Após um ano e três meses de obra, estava erguido o lar exatamente como havia projetado.
“Na época, procuramos casas, mas nada valia a pena. Eram pequenas e caras, não cabiam no orçamento. Por isso decidi construir. Parei de contar os gastos na construção da minha casa, mas hoje ela vale uns R$ 500 mil. Saí na vantagem”, acredita Érica.
Embora tenha parado de calcular o investimento ao longo do tempo, a jornalista acertou. Um engenheiro civil do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Rio de Janeiro (Crea-RJ), já disse que, ao adquirir um terreno e construir a moradia, em vez de comprar uma pronta, o proprietário economiza até 50%.
O conselheiro do Crea-RJ alerta, porém, para os cuidados com a construção:
“É preciso contratar um profissional para fazer a sondagem do solo e o projeto. Isso não é um gasto. Significa uma economia de 30% no custo da obra, porque um leigo gasta material demais.”
Financiamento de lote em até 72 vezes – Desde que se casou, a assistente administrativo Maria Venâncio, de 63 anos, orgulha-se de nunca ter pago aluguel, graças à compra de um terreno adquirido em Guadalupe, na Zona Norte do Rio, na década de 70. Hoje, a moradia que começou com os cômodos básicos para uma família morar, se transformou num casarão.
“Comprar o terreno trouxe muitas vantagens. Fui construindo aos poucos, quando tinha dinheiro. Hoje, a casa tem cinco quartos, com duas suítes, quatro banheiros, sala, cozinha e um terraço. Demorei uns 30 anos até deixá-la do jeito que eu queria, mas não teria dinheiro para comprar uma casa como a minha’, afirma Maria.
Após três anos de namoro, a funcionária pública Isabela Braga, de 25 anos, e o namorado Carlos Souza, de 27, estavam planejando se casar. Antes de escolherem a data, compraram um terreno em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, para erguer uma casa.
“Podemos fazer do nosso gosto. Sem falar que depois vamos economizar com condomínio, que estão caros demais”, afirma Isabela.
A partir de R$ 55 mil – O casal escolheu um bairro em constante crescimento. Apesar do boom de empreendimentos, Campo Grande é uma região que ainda tem muitos terrenos à venda. A WLS Corretor de Imóveis - CRECI 47.325 comercializa lotes por lá, a partir de R$ 55 mil (em declive - descida). Os terrenos podem ser financiados por famílias que tenham renda de R$ 3.500 por mês. Com o pagamento de uma entrada de R$ 11 mil, ela financia o restante em 60 prestações de R$ 965,18, corrigidas pelo IGP-M (bairro Isadora 2, próximo a Estrada da Posse).
Site: www.wlsimoveis.com